Contacto
Guerra na Ucrânia

Rússia diz que não houve qualquer "progresso significativo" nas negociações com a Ucrânia

A Rússia e a Ucrânia não fizeram até agora qualquer "progresso significativo" nas suas negociações para pôr fim ao conflito na Ucrânia, disse esta segunda-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. © Créditos: AFP

Fonte: AFP

"Até ao momento, não pudemos ver qualquer progresso ou avanço significativo", disse Peskov aos jornalistas, enquanto as delegações russa e ucraniana se encontram em Istambul para uma nova ronda de conversações.

Ler mais:Zelensky diz que questão da "neutralidade" é "estudada em profundidade"

"Por enquanto, não podemos falar de progresso e não o vamos fazer", insistiu, acrescentando que também não houve "nenhum progresso" na organização de um possível encontro entre o presidente russo Vladimir Putin e o seu homólogo ucraniano Volodymyr Zelensky.

Segundo Peskov, "é muito improvável" que as negociações, que foram realizadas nas últimas duas semanas por videoconferência, sejam retomadas pessoalmente na segunda-feira à noite.

"As delegações chegam hoje [segunda-feira] mesmo", acrescentou, com o início da nova ronda de conversações previsto para terça-feira.

Ler mais:Delegações de Kiev e Moscovo voltam a reunir-se presencialmente

A Rússia prefere não tornar públicos os detalhes das conversações por enquanto: "Isso pode prejudicar as negociações", justificou Peskov. "Mas o facto de ter sido decidido continuar as negociações cara a cara é muito importante".

Uma sessão presencial de negociações russo-ucraniana já tinha tido lugar a 10 de março em Antália, na Turquia, com os ministros dos negócios estrangeiros e a convite de Ancara, sem levar a qualquer progresso concreto.