Contacto
Alemanha

'Guida'. Quem era a prostituta portuguesa assassinada em Trier?

Maria Gonçalves foi morta em 1994. Era "divertida e alegre" e tinha "muitos clientes", incluindo "muitos portugueses que estavam a viver no Luxemburgo".

© Créditos: DR

Fonte: Redação

Um caso de homicídio por resolver, protagonizado por uma emigrante portuguesa em Trier, voltou a estar no radar das autoridades alemãs a propósito da próxima emissão do programa televisivo "AktenzeichenXY... Cold Case", do canal ZDF, que irá para o ar esta noite. A polícia espera que surjam novas informações que possam, finalmente, ajudar a identificar o culpado do crime.

Maria Margarida Ribeiro Marinho-Gonçalves, também tratada por "Guida", era natural de Matosinhos e chegou a Trier em 1992. Tinha 23 anos e acabava de se divorciar do marido, de quem tinha um filho, na altura com sete anos, de acordo com o jornal regional Trierischer Volksfreund.

Ler mais:Quem matou a prostituta portuguesa de Trier? Trinta anos depois, há um suspeito

"Guida" viajou para a cidade na fronteira alemã com uma amiga para trabalhar no bordel "Eros Center", na Luxemburger Straße. Durante os dois anos e meio que passou na cidade alemã, onde dividia casa com a amiga, voltava regularmente a Portugal para estar com o filho e ver o resto da família.

De acordo com a estação alemã SWR, Maria era descrita como uma pessoa "divertida e alegre" e tinha "muitos clientes", incluindo "muitos portugueses que estavam a viver no Luxemburgo". O trabalho permitia-lhe enviar algum dinheiro para casa, mas a família ainda lhe dava algum apoio financeiro.

Segundo a polícia, Maria Gonçalves foi vista com vida pela última vez por outra prostituta no "Eros Center" a 2 de outubro de 1994, por volta das 5h30, e terá tido pelo menos mais um cliente depois disso. Pouco depois das 7h, foi encontrada morta no seu quarto por uma colega de trabalho do estabelecimento.

Programa pode ajudar a resolver caso

A autópsia realizada na época determinou que a morte se deveu a graves ferimentos na cabeça e no pescoço da vítima, que foi agredida com violência e estrangulada com um cabo antes de morrer. "A morte acabou por ocorrer devido ao corte de importantes vasos sanguíneos na zona do pescoço", disse, então, o porta-voz da polícia, Hugo Wust, citado pelo Trierischer Volksfreund.

Ao longo de quase três décadas de investigações, a polícia identificou e chegou mesmo a deter alguns suspeitos, mas nenhuma hipótese foi suficientemente fundamentada para fazer avançar o caso, segundo Christian Soulier, chefe da brigada de homicídio de Trier.

Esboço do retrato do suspeito do homicídio de Maria Gonçalves

Esboço do retrato do suspeito do homicídio de Maria Gonçalves © Créditos: Polícia de Trier

A polícia está agora no encalço de um novo suspeito: um homem alto, de identidade desconhecida, que terá atacado outra prostituta do bordel cerca de uma hora e meia antes do crime. Inicialmente, terá deixado o estabelecimento após o confronto, mas voltou a ser visto ali por diversas testemunhas.

As autoridades alemãs divulgaram uma imagem do suspeito e esperam que o programa desta noite lhes dê novas pistas para encontrar o assassino. O Ministério Público de Trier ofereceu uma recompensa de 2.500 euros por informações relacionadas com as circunstâncias e o autor do crime.