Contacto
Covid-19

Debate parlamentar de consulta sobre a vacinação obrigatória marcado para 19 de janeiro

Xavier Bettel quer consenso alargado no Parlamento sobre a decisão que vier a ser tomada sobre a vacina obrigatória contra a covid-19.

© Créditos: Luxemburger Wort/Anouk Antony

Jornalista

O debate de consulta aos deputados sobre a vacinação obrigatória está marcado para a sessão plenária de quarta-feira, 19 de janeiro, a partir das 14h, refere o site do Parlamento.

A pedido do primeiro-ministro, Xavier Bettel, os membros da Câmara dos Deputados vão analisar e decidir se o Luxemburgo deve avançar para a vacina obrigatória contra a covid-19 e se essa obrigatoriedade deve ser setorial ou universal.

Ler mais:Luxemburgo. Vacinação obrigatória a partir dos 50 anos e para quem cuida de doentes?

Esta sexta-feira, os especialistas a quem o Governo pediu para responderem às questões essenciais em torno da vacinação obrigatória, divulgaram o seu parecer recomendando a vacinação obrigatória para determinadas faixas etárias e determinados setores profissionais, até ao final de junho de 2024.

O painel defendeu a vacinação obrigatória para as pessoas com idade a partir dos 50 anos - um universo correspondente a 70 mil pessoas, no país - e para os médicos e profissionais de saúde nos serviços hospitalares e que prestam esses cuidados a pessoas vulneráveis.

Mesmo com o apoio técnico de um painel de especialistas de várias entidades de saúde reconhecidas do país e com o de diferentes organismos, destacando-se o do Conselho de Ética, a uma decisão favorável à obrigatoriedade da vacina, Xavier Bettel admite que ela será uma das mais difíceis do seu percurso como líder do Governo.

Ler mais:Vacinação obrigatória. Oito dias para discutir a mais difícil decisão em oito anos

"Em oito anos, esta será uma das decisões mais difíceis em que participarei e que deve ficar decidida", afirmou aos deputados esta terça-feira, no seu discurso de apresentação sobre a discussão em torno da introdução da vacinação obrigatória no Luxemburgo.

Além dos pareceres científicos, técnicos e jurídicos, para o primeiro-ministro essa decisão deve ser suportada por um amplo consenso político no Parlamento. Uma votação de 31 a favor e 29 contra é um resultado pouco desejável para Xavier Bettel. "Seria uma vergonha", disse, citado pela RTL.