Contacto

FC Porto vence Paços de Ferreira (1-0) e isola-se no comando da I Liga

 O campeão FC Porto venceu hoje o Paços de Ferreira, por 1-0, em jogo da terceira jornada da I Liga de futebol, e isolou-se provisoriamente no comando da prova.

© Créditos: Lusa

Em Felgeurias, casa emprestada dos pacenses, o colombiano Jackson Martinez marcou, aos 76 minutos, o golo do triunfo dos “dragões”, que passaram a somar nove pontos, subindo ao primeiro lugar, no qual podem ser ainda igualados pelo Sporting de Braga e pelo Estoril-Praia, que defrontam o Gil Vicente (hoje) e a Académica (segunda-feira).

O Paços de Ferreira somou a terceira derrota em outros tantos encontros e ainda não pontuou, tal como o Belenenses e a Académica.

FC Porto venceu com golo de Jackson, num jogo de paciência

O FC Porto venceu hoje o Paços de Ferreira, por 1-0, e manteve a liderança da I Liga de futebol, num encontro da terceira jornada em que os tricampeões nacionais capitalizaram a perda de pontos dos rivais lisboetas.

O único golo de um jogo de sentido único teve a assinatura do colombiano Jackson Martinez, aos 76 minutos, e foi apontado, de cabeça, na sequência de um pontapé de canto, que pôs fim à resistência de um Paços a recuperar de um encontro europeu e aos nervos dos adeptos portistas.

Os "azuis e brancos" somaram a terceira vitória consecutiva no campeonato e isolaram-se provisoriamente na liderança, com nove pontos, mais cinco do que o Benfica e dois relativamente ao Sporting, rivais que se "anularam" no dérbi lisboeta (1-1) disputado no sábado, enquanto o Paços de Ferreira continua sem pontuar.

Para este jogo de emoções e reencontros, o técnico pacense, Costinha, fez regressar ao "onze" Rodrigo António, Sérgio Oliveira e Caetano, alterando pela quinta vez consecutiva a equipa inicial, enquanto no FC Porto Maicon foi a novidade na equipa de Paulo Fonseca, em substituição de Mangala, que está lesionado.

A ausência de um meio-campo mais "musculado" na formação pacense foi a surpresa preparada por Costinha, procurando capitalizar a capacidade técnica de Sérgio Oliveira e Vítor no contra-ataque, mas o lance individual de Jackson, no minuto inaugural, mostrou toda a capacidade ofensiva dos tricampeões nacionais.

O remate do colombiano quase deu golo e seria o primeiro de quatro oportunidades do avançado portista, a somar a uma outra de Licá, numa primeira parte dominada integralmente pela formação de Paulo Fonseca, face um Paços que teve o mérito de resistir a todas as iniciativas do adversário e que, aos poucos, começou a tentar explorar o contra-ataque.

Caetano e Sérgio Oliveira quase "traíram" o FC Porto, num jogo disputado sob um imenso calor e que deixava para a segunda parte uma espécie de teste à resistência dos pacenses.

O FC Porto não conseguiu manter o ritmo forte do primeiro tempo, com trocas constantes dos alas e progressões alternadas de Defour e Lucho, procurando confundir as marcações dos locais, mas conseguiu empurrar o Paços para a sua área.

A partir da entrada de Quintero, aos 57 minutos, o Porto ganhou velocidade e o improviso que parecia estar a faltar aos pupilos de Paulo Fonseca e o desperdício de Lucho, aos 66 minutos, num desvio de Jackson, foi o prenúncio daquilo que viria a acontecer.

De permeio, aos 73 minutos, o Paços, num lance aparentemente inofensivo, podia ter desfeito a igualdade, por Carlão, mas Helton levou a melhor ao esforçado avançado brasileiro, antecedendo o merecido tento portista.

O lance foi construído por Quintero na esquerda e resultou numa boa defesa de Degra, a pontapé de Fernando, para canto, do qual o mesmo Quintero centrou para Jackson, de cabeça, vencer a oposição da marcação e desfazer a igualdade, oferecendo um merecido triunfo ao FC Porto.

Notícias relacionadas